Português (Brasil)English
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
Prevenção De Drogas: Orientação Aos Pais - Parte I

A droga é um produto misterioso para a maioria das pessoas. Para jovens e adolescentes, este “mistério” desperta uma grande curiosidade, a qual leva muitos a experimentarem as diversas substâncias tóxicas existentes.

 

A porta de entrada são as drogas lícitas (tabaco, álcool), que são drogas socialmente aceitas e muitas vezes estimuladas, são de baixo custo, tem grande disponibilidade e é erroneamente vendida às crianças e adolescentes (aos quais muitas vezes são usadas pelos próprios pais), e há a crença de que estas drogas oferecem baixa periculosidade. Esta é uma falsa crença, pois o tabaco é uma droga com alto potencial de causar dependência (de 30 a 50% das pessoas que experimentam o cigarro ficam dependentes) e mata mais do que todas as drogas ilícitas somadas atingindo o índice de 5 milhões de mortes/ano no mundo e 200 mil mortes/ano no Brasil.

 

 

Atualmente há uma grande oferta das mais variadas drogas aos adolescentes, e boa parte deles ainda não consegue dizer NÃO ao convite de um amigo ou de um colega de escola para experimentá-las. Diante desta realidade os pais se preocupam cada vez mais e tem sérias dúvidas de como abordar seus filhos, no intuito de prevenir o uso e abuso de drogas.

Segundo pesquisadores e especialistas, o melhor combate ao abuso de drogas é a prevenção e isto significa: checar antes, preparar e utilizar medidas para impedir o consumo de drogas.

Antes que a dependência se instale, a família pode reverter o processo através da orientação adequada aos seus filhos. O pânico vivido pelos adultos diante do tema das drogas, alimentado por mitos, preconceitos e informações incorretas, pode aguçar a curiosidade dos adolescentes e fazer o efeito inverso, incentivando o uso.

Se a família conversar naturalmente sobre esse assunto, desde a primeira infância, as crianças crescerão convivendo com colegas que usam drogas, sem morrer de curiosidade e desejo. O meio familiar exerce um papel importantíssimo na formação do indivíduo e no aprendizado da vida social.

Neste espaço ofereço algumas informações sobre o uso e abuso de drogas (lícitas ou ilícitas):

 

  • O uso do tabaco e outras drogas existe a partir do encontro de características próprias do indivíduo (físicas e psicológicas), do ambiente (familiar, social, cultural) e da substância química em questão.
  • A primeira experiência com drogas geralmente ocorre na fase da adolescência (Exemplo: 90% dos fumantes iniciaram seu uso antes dos 19 anos de idade).
  • O adolescente pode buscar o cigarro movido pela curiosidade, pressão do grupo, imitação de familiares ou ídolos, pela busca de prazer e emoção, busca de identidade (para se sentir adulto), por acreditar que nada de ruim vai acontecer com ele (onipotência), ou simplesmente para transgredir mais uma regra ou norma.
  • Experimentar qualquer substância tóxica é uma conduta de risco, assim como sexo sem camisinha, rachas automobilísticos, roleta russa, dirigir sem cinto de segurança.
  • Ninguém tem culpa por alguém usar drogas, mas todos somos responsáveis: o indivíduo, pais, familiares, escola, profissionais de saúde.
  • Não existe personalidade toxicômana, nem uma estrutura genética que obrigatoriamente leve o indivíduo a ser dependente de uma ou outra droga.
  • Ninguém se torna dependente “de repente”. Existe um conjunto de fatores que precedem ao uso de drogas e favorecem a atitude de experimentar a mesma.
  • Nem todo usuário de drogas é dependente. Por exemplo: tem pessoas que bebem só em datas especiais. Já com relação ao cigarro, é difícil encontrar alguém que fume esporadicamente, visto o poder viciante desta droga.

 

P.S.: Na próxima semana leia e saiba o que fazer e o que não fazer para evitar o uso de drogas por seus filhos.

Fonte:

SANTOS RM. Prevenção de droga na escola: uma abordagem psicodramática. Campinas: Papirus, 1997.

PINSKY I; BESSA MA. Adolescência e drogas. São Paulo: Contexto, 2004.

 

Próximos Eventos

Não tem eventos